terça-feira, setembro 15, 2009

O "NOVO POVO"

Quatro anos depois de intensas contendas e resistência pela dignidade de uma profissão injuriada como se obsoleta e desnecessária se tivesse subitamente revelado, é realmente espantoso ouvir frequentemente em todas as bocas significantes desta campanha eleitoral, em todos os espaços e todas as ocasiões a palavra Professores.

Depois da revolta e da vergonha, que durante cerca de 1460 dias e noites, sentimos por sermos estas tão execráveis criaturas que abraçaram uma profissão tão ignóbil, é inédito o destaque que a nossa opinião parece exercer.

Fossemos tão ignorantes e ingénuos como nos acreditam, e avançaríamos para este ano lectivo com a alegre convicção de que a partir de agora, aquilo que fazemos diariamente com e para os jovens e crianças deste país era efectivamente valorizado.

Somos nós, os professores, o “novo” povo que interessa agora, adular e agregar. Seria caso para dizer, se todas as angústias e lágrimas que aguentámos não nos tivessem endurecido, e se estivéssemos, como desejariam muitos, à venda: - Quem dá mais?

5 comentários:

Anónimo disse...

Olá...como te compreendo. De facto, lata, não lhes falta. E há que estar atento, que há mudanças que apostam na continuidade (lê a resposta de todos os grupos parlamentares às questões levantadas pelos sindicatos, no Jornal da fenprof, de Setembro ).
É de abrir bem os olhos...

..mas não estamos à venda.

Beijinhos e bom ano

adel

syl disse...

Também para ti minha linda.
Só quero acrescentar que alguma coisa nos deram e que não a vamos deixar cair por terra (pelo menos falo por mim e uns outros quantos), determinação!

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

非凡 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Guilherme F. disse...

Olá Syl, passei para te reencontrar ...... vou mais só. Aguardo a tua volta.
bj
Gui
coisasdagaveta.blogs.sapo.pt